Curcuma raiz muito versátil

27 | 01 | 2022
Curcuma raiz muito versátil

por Sara Ferreira, Farmacêutica e Naturopata Ayurvédica. Responsável pela Consulta da Mulher no IMI.

INTRODUÇÃO

O uso medicinal da curcuma longa remonta à Medicina Ayurvédica onde é usado no tratamento do vikriti Kapha, como estimulante da digestão, apoiando a digestão das proteínas, gorduras e hidratos de carbono, bem como a eliminação de «biotoxinas» do intestino.

Actualmente a curcuma longa é reconhecida pelas suas propriedades anti-oxidantes, anti-envelhecimento, anti-inflamatórias, anti-microbiano, anti-cancerígenas, anti-diabéticas e neuroprotectoras.

O uso culinário da curcuma longa é vasto, conferindo cor e um sabor amargo e picante às receitas. Ela é um dos ingredientes do tradicional «caril», estando também presente em muitas das receitas de «masalas» indianas.

A curcuma longa nunca passa despercebida pela sua cor única, amarelo torrado-alaranjado. Por essa razão, pode também ser usada como corante na indústria alimentar e cosmética, nas tintas de cabelo e bronzeadores cosméticos.

CURCUMA LONGA caril e masala, quais as diferenças?

A curcuma longa é uma herbácea da família do gengibre, com colheita anual da sua raiz, de cor alaranjada, que se pode utilizar fresca ou seca, em pó, com fins culinários e medicinais, dependendo das doses utilizadas.

Mais de 6000 publicações científicas sobre esta planta medicinal, tornou-se popular pela sua ação anti-cancerígena, estando esta bem demonstrada ao nível do cancro cólon-rectal.



O caril é um termo que deriva do termo inglês «Curry», que significa molho. É uma mistura de plantas em pó, de cor amarela torrada, com fins culinários, ou seja, que visa conferir sabor à refeição. Contém curcuma longa na sua composição mas em quantidade insuficiente para produzir efeitos medicinais. Além de curcuma longa, contém gengibre, coentros e cominhos, entre outras, dependendo da região e flora local onde é produzido. Cada região tem o seu caril tradicional e foi trazido para a Europa pelos Britânicos apaixonados pelos sabores dos «molhos indianos».

O uso de especiarias e ervas aromáticas tem origem na Medicina Ayurvédica e é usada com a finalidade de melhorar o agni e remover biotoxinas do intestino. Existe uma mistura complexa de ervas e especiarias para tratar cada dosha (desequilíbrio de acordo com os 5 elementos), com base no rasa, virya e prabhava de cada planta (monografia Ayurvédica das plantas). Ao longo dos tempos estas misturas medicinais foram-se transformando em misturas culinárias (masalas), ou seja, usadas por todos independentemente do dosha, para melhorar o sabor das refeições. Existem vários tipos de masalas comerciais, sendo que o «Tandoori masala» contém também curcuma, muito usado para marinar a carne antes de assar. Já o «Garam masala» é usado em pratos com molho e não contém curcuma na sua composição.

CURCUMA LONGA e árvore do caril, quais as diferenças?

A árvore do caril murraya koenigii é originária da Índia e as suas folhas são também usadas na culinária nos pratos de peixe e leguminosas, havendo um prato tradicional chamado de «caril» por usar estas folhas. Não tem qualquer semelhança com o caril trazido pelos Britânicos, exceto no nome. As folhas de murraya koenigii têm propriedades hipotensoras e hipoglicémicas.

A árvore do caril não se deve confundir com a planta Mediterrânea erva-do-caril, helycrisum italicum, esta sim com aroma que lembra o caril Britânico, no entanto, pouco usada na culinária mas com propriedades medicinais interessantes, principalmente ao nível das doenças da pele.




CURCUMA LONGA e açafrão, quais as diferenças?

A curcuma longa é também chamada de açafrão-da-índia, que não se deve confundir com a planta crocus sativa, que é vulgarmente chamada de açafrão. Desta planta usam-se os estigmas das flores, quer para uso culinário, quer cosmético e medicinal. Este é a especiaria mais cara do mundo, com uso medicinal comprovado no tratamento da depressão e doenças neurodegenerativas.



CURCUMA LONGA, quais os seus benefícios?

Os benefícios para a saúde da curcuma longa atribuem-se ao polifenol curcumina, no entanto, existe uma sinergia entre os vários constituintes. Por exemplo, os constituintes voláteis aumentam a biodisponibilidade da curcumina.

1-Auxilia a digestão- A curcumina estimula a secreção de todas as enzimas digestivas inclusive de lactase, sacarase e maltase ao nível da mucosa intestinal.

2-Anti-inflamatório- A sua ação anti-inflamatória no alívio de inflamações músculo-articulares está bem documentada e é atribuída à ação inibidora da COX-2 pela curcumina. Exerce efeito protetor sobre a mucosa gástrica por estimular a produção de mucina.

3-Anti-microbiano- Muito eficaz no tratamento de infeções bacterianas, virais e fúngicas, quer respiratórias, quer dos tecidos moles.

4-Anti-cancerígeno- Ação multi-target, estudada clinicamente com sucesso ao nível do cancro cólon-rectal, pâncreas e mama.

5-Anti-diabético- Acção hipoglicemiante, melhora a função das células beta pancreáticas, estimula a produção de insulina e melhora a resistência à insulina, por aumentar os níveis de adiponectina.

6-Hemostático e cicatrizante- muito eficaz no tratamento de feridas externas e úlceras gastro-duodenais.

Quer saber mais sobre os benefícios clinicamente comprovados da curcuma? Therapeutic Roles of Curcumin: Lessons Learned from Clinical Trials (nih.gov)

CURCUMA LONGA, com ou sem pimenta preta?

Os estudos científicos sobre a curcuma longa têm-se focado na curcumina, um polifenol da raiz que constitui apenas 2 a 6% desta. A curcumina tem uma absorção intestinal baixa e é altamente metabolizada pela flora intestinal, resultando em uma biodisponibilidade baixa. Quando administrada com 1% piperina, constituinte da pimenta preta, a sua biodisponibilidade aumenta em cerca de 2000%, daí que a curcumina passou a ser adicionada de piperina nas formulações comerciais. No entanto, a biodisponibilidade da curcumina na raiz inteira é superior, atribuída à sua fração lipídica.

CURCUMA LONGA, com leite faz bem?

Uma vez que a curcumina quando em formulação oleosa apresenta biodisponibilidade superior , o leite é um bom veículo de curcumina. No entanto, pela presença de caseínas e hormonas de crescimento, o consumo diário de leite está desaconselhado a partir dos 40anos. O leite com curcuma longa é muito útil e eficaz no tratamento de infeções linfáticas e dos tecidos moles, como amigdalites, tanto no adulto como na criança.



CURCUMA LONGA, como utilizar?

A curcuma longa pode ser usada fresca, seca, em tinturas ou extratos padronizados de curcumina.

1.Para auxiliar na digestão:

Tome 1 colher de café de raiz seca pulverizada de curcuma longa por pessoa, a cozinhar com a refeição.

2.Nas doenças infeciosas adulto e criança:

Tome 2g(criança) a 4g(adulto) de raiz fresca de curcuma longa fervida em 200ml de leite de cabra durante 5minutos. Tome 2 vezes por dia durante 8 dias.

3.No cancro cólon-rectal:

Consuma 8g de raiz fresca de curcuma longa ou 6gr de raiz seca em pó, todos os dias em jejum e ao deitar, durante 4 meses. Alternativamente tome 180mg de extrato padronizado com 95% curcumina por dia.

4.Na dor e inflamação osteoarticular:

Num almofariz misture 6g de raiz fresca de curcuma longa com 1 fruto de pimenta preta. Adicione 1 colher de sopa de óleo de linho. Consuma 2 vezes por dia nas fases agudas da doença. Alternativamente tome 200mg extrato padronizado a 95%curcumina com 10mg extrato padronizado a 95%piperina.

5.Na prevenção e tratamento da Diabetes tipo 1 e tipo2:

Consuma 2-5g de raiz fresca de curcuma longa 3 vezes por dia. Monotorize a glicémia.

6.Como anti-oxidante e anti-envelhecimento:

Triture 5g raiz fresca de curcuma longa com 2 maçãs em 1L água mineral. Beba entre as refeições ao longo do dia.

7.Nas feridas externas:

Aplique diretamente na ferida aberta a curcuma longa seca em pó.

Quer saber mais? Não perca a próxima edição do workshop online «A Farmácia na sua Cozinha»

Autoconhecimento «Saúde Digestiva: o pilar da Vitalidade» (sarabiokosmetica.com)

CURCUMA LONGA, tem aplicações na Ayurveda?

A curcuma longa, pelos seus atributos leve e seco, rasa amargo, adstringente e picante, vyria quente e prabhava estimulante, é util na pacificação do vikritti kapha, podendo ser usado moderadamente nos prakritti pita e vata, quando benéfico.

Quer saber mais sobre Ayurveda?

Consulta da Mulher pela Ayurveda (sarabiokosmetica.com)


CURCUMA LONGA, tem aplicações na Cosmética?

Sim, a curcuma longa apresenta propriedades anti-inflamatórias e anti-microbianas muito úteis. É um dos ingredientes da formulação «Precioso Acne cuidado integral»

Quer saber mais sobre o Precioso Acne cuidado integral?

Acne Cuidado Integral (sarabiokosmetica.com)



CONCLUSÃO

A curcuma longa é uma planta muito versátil, com aplicações na culinária, medicina e cosmética. A raiz contém hidratos de carbono, proteínas, fibras, carotenóides, vitaminas do grupoB, VitC, D e E, minerais como cálcio, magnésio e selénio, e fitoativos como a curcumina, que constitui cerca de 2% da raiz fresca.

Na culinária, a curcuma longa potencia o sabor e aroma dos alimentos, conferindo um sabor amargo e picante. Ao longo da história passou a ser o principal ingrediente de muitas misturas de condimentos, sendo o «caril» o mais conhecido na Europa. Na Índia é também ingrediente de algumas misturas de condimentos, chamadas de «masalas».

Existem muitas receitas de caril, sendo que o ingrediente principal é a curcuma, responsável pela cor amarela desta mistura culinária. Existem muitas receitas de masala, consoante a região da Índia, que podem ou não conter curcuma. Pode-se considerar o caril um tipo de masala que contém curcuma, comercializado inicialmente pelos Britânicos.

Pode fazer o seu caril em casa: misture 20g de curcuma, 10g de gengibre, 10g de coentros e 10g de cominhos. Guarde num frasco de vidro hermético. Adicione a gosto aos seus molhos.

Pode fazer o seu garam masala em casa: misture 20g de coentros, 20g de cominhos, 20g de cardamomo, 10g de pimenta preta, 5g de cravinho e 5g de canela. Guarde num frasco de vidro hermético. Adicione a gosto aos seus molhos.

Pode fazer o seu tandoori masala em casa: misture 20g coentros, 20g de cominhos, 10g curcuma longa, 10g cravinho, 10g gengibre, 10g alho, 5g canela, 5g de chili e 5g sal. Guarde num frasco de vidro hermético. Deixe marinar a carne com esta mistura e sumo de limão, antes de assar ou no final dos grelhados.

O consumo diário de curcuma longa aumenta o potencial anti-oxidante do organismo, logo essencial para promover a saúde e longevidade. Pose ser usada a raiz fresca ou seca, sendo que a curcuma longa fresca tem mais nutrientes e fitoativos, além de apresentar maior biodisponibilidade de curcumina pela fração lipídica e aromática. O uso de curcuma longa como fitoterápico pode ser usado diariamente até 15g de raiz fresca ou 500mg de extrato padronizado de curcumina a 95%.